Pensamento ESPM

Comunicação e Consumo

Na sociedade contemporânea, a inter-relação comunicação e consumo aparece como marca destacada. Ambos se interdependem. Nesta fase do capital, o transitório tomou o lugar do permanente, ou seja, o tempo de existência de cada produto, material ou simbólico, reduz-se rapidamente. A produção volta-se sempre para outros produtos, novos ou renovados, os quais precisam ser rapidamente consumidos para que possam ser substituídos. Quando se fala em produção, fala-se também em consumo, pois a primeira só opera estando afinada com o segundo. Também neste âmbito cabe lembrar: a) o papel da publicidade que, perfilando-se ao lado da produção, tem parcela de responsabilidade no “tempo” de consumo; b) o papel da mídia e da comunicação no desenho dessa realidade. Tanto que esta fase tem sido chamada de era do consumo, ou era da comunicação, ou era da publicidade. O processo comunicacional “nasce” e “retorna” à sociedade de consumo. Sem conhecê-la, não é possível fazer comunicação. Entre as características dessa sociedade de consumo, sociedade das mídias, sociedade da informação, sociedade eletrônica ou high-tech e similares, reitera-se a importância da publicidade, que se perfila ao lado da produção, e responde – ou procura responder – à velocidade do processo de produção-distribuição-consumo. E substituição da produção. As mercadorias parecem perder as marcas dos processos que as geraram (sem história), tornando-se “independentes” e aparentemente incontroláveis. Regem a subjetividade e a construção das identidades. Compõem, com os meios de comunicação, um todo, de partes indissociáveis, interdependentes.

Programas Relacionados