Pensamento ESPM

Antropologia do Consumo

A antropologia do consumo é herdeira da tradição antropológica por estar diretamente ligada à noção de cultura e à prática da etnografia como método fundamental da disciplina. Ao mesmo tempo, esta vertente procura dialogar com outros ramos do conhecimento como a Economia, a Comunicação, a Administração e o Marketing. A antropologia é uma ciência que estuda o homem dentro de uma perspectiva interpretativa.

Ou seja, ela está preocupada com o significado simbólico dos objetos, gestos, rituais, comportamentos, da vida em geral. Dentro da perspectiva de estudos urbanos na antropologia do Século XX, ocorre a aproximação com a questão do consumo. Ele ainda vem sendo pouco estudado pela antropologia, mas já há alguns trabalhos significativos. Um dos aspectos importantes para pensar o consumo sob uma ótica antropológica leva em conta que, sem o consumo, um objeto não se completa como produto. O consumo deve ser entendido como uma linguagem dentro de uma perspectiva simbólica. Retoma-se a idéia de que a antropologia está preocupada com o significado e que esse significado é construído pelos grupos sociais.

Portanto, os significados não “nascem” com os produtos, colado neles. Eles são dados, estabelecidos pela cultura. Por isso a antropologia se afasta da perspectiva exclusivamente financeira ou utilitária dos objetos. Como se fosse possível apreendê-los em sua totalidade apenas levando em conta o objetivo para o qual foram feitos ou seu custo e preço. O consumo pede uma reflexão mais sistemática que possibilite desvendar os seus significados culturais. Afinal, é inegável que ele se tornou um fenômeno cultural em nossas sociedades contemporâneas

Programas Relacionados