Pensamento ESPM

Conceito

O que é o consumo para a ESPM

O conceito de consumo não é consensual e não pode ser limitado a uma ou outra perspectiva teórica e científica: ganha uma centralidade na vida contemporânea, tensionando outras áreas do conhecimento, que também passam a incorporar e refletir o tema.

O conceito de consumo na ESPM se constitui inicialmente apoiado em uma visão mainstream, que envolve a sua área de origem, o marketing (KOTLER). Neste conceito clássico, o consumo é uma troca em que vendedor e consumidor ganham mutuamente, com a lógica da transação econômica.

Nos últimos anos, a escola vem fazendo um movimento de expansão de seu horizonte teórico acerca do consumo. Nesta trajetória, a ESPM vem se aproximando com mais intensidade da visão de consumo como prática sociocultural, apoiada em áreas como antropologia, sociologia, psicologia (MARY DOUGLAS; DANIEL MILLER; MIKE FEATHERSTONE; ZYGMUNT BAUMAN; GRANT MCCRAKEN; ROBERTA SASSATELLI, entre outros).

O próprio programa do PPGCOM pode ser entendido como um momento significativo, que traz esse novo olhar, atento às demandas sociais, dialogando com a diversidade da contemporaneidade e outros horizontes teóricos (JESUS MARTÍN-BARBERO; NÉSTOR GARCÍA CANCLINI), no qual se destaca a emergência da comunicação. E, dentro da perspectiva desses autores, há o deslocamento do pólo da produção para o da recepção e das diferentes apropriações do consumo que decorrem deste processo.

O conceito de consumo trabalhado no PPGCOM pressupõe uma “visão sistêmica da comunicação e do consumo”, articulando entre “materialidades do consumo, produtos midiáticos, representações sociais, narrativas, imaginários, mediações, medialidades seus respectivos operadores simbólicos”. O consumo é compreendido como “um fenômeno sociocultural complexo, historicamente mutável, comunicacional e midiaticamente estruturado”.

Dando continuidade e aprofundando os conceitos fundantes da escola, o Mestrado Profissional em (MPCC) apresenta que hibridiza as visões socioantropológicas com a perspectiva mainstream (econômica).

O entendimento e a pesquisa em consumo ganham outros olhares com a criação do curso de Ciências Sociais e do Consumo. A nova graduação traz a proposta de entender o comportamento humano para o consumo, com estudos em âmbito individual e coletivo. A proposta inclui uma agenda contemporânea de temas como diversidade de gênero, de religião, sexualidade, formando profissionais conectados com o contexto de demandas sociais atuais. A ideia é tirar o consumo da periferia dos debates, transformando-o em um tema central nas salas de aula (PACCO UNDERHILL; ANTÔNIO DAMASIO; RICHARD DAWKINS).

Todo esse processo de pesquisa e aprofundamento acerca da concepção de consumo faz com que a Escola coloque o tema em um patamar de saber complexo, de forma transversal, da graduação ao stricto sensu.
Em seus movimentos de ensino, aprendizagem e pesquisa, a ESPM propõe um diálogo de visões que passam a convergir, colocando o consumo no papel de centralidade da vida e da cultura contemporânea.

Conceito . Programas

Graduação CISO
MBA ECC
MBA CCA
MPCC
PPGCOM